AC Origins: Análise do Trailer Cinemático

(texto por Access the Animus)

 

É aquela época do ano de novo! A Gamescom chegou e que melhor maneira de começa-la do que com o trailer de CGI de Assassin’s Creed: Origins que muitos estavam esperando na E3 e muitos mais pediram depois disso?

Com uma reviravolta para alguns e uma expectativa confirmada para outros, o trailer chegou no último domingo e chocou a comunidade com tudo que ele contém, desde os lindos visuais até os ambientes, dos inéditos personagens secundários e históricos aos temas que estão em algumas vezes explícitos e em outras um pouco mais sutis.

Os Mascarados

Então… vamos acompanhar o que acontece ao longo do vídeo, enquanto no fundo ressoa a adequada música You Want It Darker, de Leonard Cohen. O trailer começa com um navio chegando a uma doca do rio Nilo com o que parece ser uma pirâmide em construção em segundo plano. O navio parece estar carregando alguém muito importante, já que o cais está bem próximo de um grande templo que se assemelha ao Templo de Edfu, um templo dedicado ao deus-falcão Hórus, localizado na margem oeste do Nilo. A suposição é confirmada conforme um grupo de oito soldados liderados por um homem com uma maça sai do navio, com quatro deles segurando nos ombros um homem sentado sobre ele sobre um trono.

O homem está mascarado, apenas seus olhos e mãos podendo ser vistos. Ele está vestido de azul e dourado e tem um broche dourado do que parece um falcão, que pode ser mais uma vez uma referência a Horus. O que mais atraiu nossa atenção, porém, é, claro, a própria máscara. Provavelmente representa Amon-Rá, o rei dos deuses que representava a fusão dos deuses Amon e Rá, que era visualmente representada pela união dos dois símbolos geralmente encontrados em suas respectivas cabeças: duas longas plumas de ouro para Amon e um disco de sol vermelho para Rá. Esses dois podem ser vistos na máscara de nosso “personagem importante”, e é por isso que ele parece representar Amon-Rá. Ele, no entanto não é o faraó, título naquele momento ocupado por Cleópatra junto com Ptolomeu XIII.

O nosso "personagem importante". À esquerda sua aparição no trailer; à direita, visto com uma Maçã do Éden no calendário oficial de Origins
O nosso “personagem importante”. À esquerda sua aparição no trailer; à direita, visto com uma Maçã do Éden no calendário oficial de Origins

Além disso, esta máscara é muito importante porque é a mesma máscara (e, portanto, o mesmo personagem) que aparece no calendário de parede temático de Assassin’s Creed: Origins revelado algumas semanas atrás, segurando uma Maçã do Éden. Isso certamente é motivo de atenção, mas estamos apenas no início.

O trailer então se move para o interior do que possivelmente é o mesmo templo, mostrando mais estátuas dedicadas a Hórus e ao deus-touro Ápis e uma procissão de pessoas que se encaminha para dois homens: um deles é novamente um mascarado, com uma máscara diferente, mas ainda representando Amon-Rá, enquanto o outro é aquele a que todos estão se curvando. É o mesmo homem que aborda uma multidão fervorosa mais tarde no trailer, o que o torna quase certamente o então co-regente do Egito, Ptolomeu XIII Theos Filopátor. Esta cena é importante pois, apesar de o povo se inclinar a ele, “Ptolomeu” parece olhar para o mascarado, possivelmente preocupado, e só então o mascarado olha para ele, mostrando que ele tem uma espécie de posição dominante sobre o faraó/co-regente.

A próxima cena do trailer ocorre em um local altamente esperado pelos fãs, as pirâmides. A ação ocorre mais especificamente do lado de dentro de uma delas, e vemos o processo de mumificação no qual as pessoas tomam os órgãos de um cadáver para armazená-los nos vasos canópicos para que seu antigo dono possa mantê-los para a vida após a morte, de acordo com a tradição egípcia. A câmera se move para trás através dos corredores da pirâmide e mostra outra fase do processo de mumificação, em que o corpo é enrolado em ataduras, e depois a conclusão do processo com o sarcófago final. Nessa cena específica, também podemos ver alguns homens que usam máscaras de Anúbis, o que faz sentido, considerando que Anúbis é o deus egípcio associado à mumificação e à vida após a morte.

Em alguns segundos, porém, acontece algo mais interessante. Desta vez, são três homens que usam uma máscara com os símbolos de Amon-Rá e, se isso não for suficiente, durante alguns quadros o trailer mostra um deles dando uma adaga a outro mascarado. Mais especificamente, o que parece ser uma adaga cerimonial egípcia quase idêntica à encontrada no túmulo de Tutancâmon. A adaga de ferro meteóco de Tutancâmon fazia parte de um conjunto de lâminas que se parecem muito semelhantes às usadas na cerimônia egípcia de abertura da boca, um ritual realizado em benefício do falecido para alcançar a vida após a morte. Então, por que os misteriosos homens mascarados empunham uma adaga cerimonial (possivelmente feita apenas de ferro e não de ferro meteorítico dourado, como a de Tutancâmon)?

Uma comparação entre a adaga cerimonial de Tutancâmon e a usada pelos Mascarados
Uma comparação entre a adaga cerimonial de Tutancâmon e a usada pelos Mascarados

Guerra civil: Cleópatra versus Ptolomeu

Voltando ao trailer, a câmera então se afasta rapidamente para mostrar uma pirâmide (e que as cenas anteriores foram filmadas dentro dela). O trailer mostra uma sequência rápida de “fast forward”, que mostra as três principais pirâmides do Complexo da Pirâmide de Gizé e, alguns momentos depois, o ambiente na verdade se torna uma maquete em escala do planalto de Gizé sendo visto por ninguém mais ninguém menos que… Cleópatra!

A famosa rainha egípcia e faraó/co-regente do país, que já havia sido mencionada como parte do elenco de AC Origins e também foi parcialmente mostrada em uma prévia do calendário oficial, finalmente faz sua aparição oficial, e de maneira majestosa: ela coloca na maquete um elemento que mudará a situação política no Egito e em todo o mundo conhecido para sempre. Esse elemento é um homem a cavalo, vestido com armadura romana e empunhando uma espada. O trailer mais uma vez mostra uma transição da maquete para o mundo real, mostrando que o homem vestido com armadura romana é (e vou me repetir aqui) ninguém mais ninguém menos Júlio César!

Cleópatra e César
Cleópatra e César

Desta vez, o trailer revela um personagem histórico importante que não havia sido anunciado antes, e que provavelmente desempenhará um papel importante sobre a narrativa do jogo. César é mostrado levando seu exército em direção a Alexandria e seu famoso Farol, e esses curtos segundos representam o chamado Cerco de Alexandria que, é claro, requer um pouco de contexto para se entender melhor a situação política que, com base neste trailer, vamos encontrar em Assassin’s Creed: Origins.

O início da segunda metade do Século Primeiro antes de Cristo é muito importante para a República Romana. De fato, de 49 a 45 a.C., Roma é destruída pela chamada Grande Guerra Civil Romana, um conflito que começou como um confronto entre Júlio César, que havia emergido como campeão do povo, e Pompeu, que apoiava o conservador e tradicionalista Senado Romano. Os dois lados travaram várias batalhas, sendo a mais importante delas a Batalha de Farsalos, no centro da Grécia, que ocorreu em 48 a.C. e foi uma derrota total para Pompeu, que depois da batalha decidiu fugir para o Egito.

O Egito na época estava sob o controle da Dinastia Ptolomaica, uma dinastia helenística que havia sido estabelecida após a morte de Alexandre, o Grande (que conquistoara o Egito em 332 a.C. e estabelecera a nova capital em Alexandria), quando Ptolomeu, um dos três principais generais do exército de Alexandre, se nomeou rei do país com o nome de Ptolomeu I Soter (graças a uma das pontas do Tridente do Éden, de acordo com os livros da série Last Descendants).

O Reino Ptolomaico, em azul, cerca de 300 a.C. (fonte: Wikipedia)
O Reino Ptolomaico, em azul, cerca de 300 a.C. (fonte: Wikipedia)

A Dinastia Ptolomaica durou cerca de 300 anos e, devido ao fato de seus reis adotarem o costume egípcio de se casar com suas irmãs, muitos deles governaram em conjunto com suas esposas (ou suas filhas), que também eram da casa real. É por isso que, a partir de 51 a.C., Cleópatra co-governou o Egito com seu irmão Ptolomeu XIII, mas rapidamente deixou claro que não tinha intenção de compartilhar o poder com ele, ao ponto em que ela retirou o nome de Ptolomeu de todos os documentos oficiais e o rosto dele das moedas utilizadas no país. É claro que Ptolomeu XIII não gostou disso, e três anos depois, graças a seu conselheiro, Potino, pôde depor Cleópatra e fazê-la fugir para a Síria. Ela, no entanto, rapidamente organizou seu próprio exército e iniciou uma guerra civil no Egito.

E é aí que a guerra civil romana se encontra com a egípcia, porque em 48 a.C., como mencionamos, Pompeu foge ao Egito para buscar ajuda de Ptolomeu XIII (lembre-se, considerando que estes são os anos que serão apresentados em Assassin’s Creed: Origins, todos esses eventos podem aparecer no jogo – ou nenhum deles). Ptolomeu inicialmente fingiu aceitar o pedido de Pompeu, mas depois o fez ser morto por dois de seus ex-soldados, e decapitado para tentar conquistar a ajuda de César na guerra civil no Egito… Mas ele não recebeu a resposta que ele esperava.

César chegou em Alexandria dois dias depois e se sentiu enojado quando recebeu a cabeça de Pompeu. Diz-se que ele teria chorado pela morte de seu antigo aliado, e ordenou que o corpo de Pompeu fosse encontrado para dá-lo um funeral romano adequado.

Após ouvir o que aconteceu, Cleópatra fez o seu melhor para usar a situação e ter César ao seu lado (o trailer faz um trabalho incrível ao mostrar que Cleópatra está usando César literalmente como um peão na busca pelo trono).

De acordo com o historiador Plutarco, ela contrabandeou a si mesma para dentro do palácio de Ptolomeu, enrolada em um tapete que foi carregado por Apolodoro, o Siciliano (nós apostamos que essa famosa anedota aparecerá no jogo). O nome de Apolodoro lhe é familiar? Bem, deveria ser, já que Bayek parece conhecê-lo e até mesmo realiza tarefas dadas por ele, como mostrado na demo da E3 de Origins.

“Eu fui enviado por Apolodoro” (fonte: IGN)

Como muitos de vocês devem saber, Cleópatra ganhou tanto o favor de César que os dois se tornaram amantes e por isso ele organizou o retorno oficial dela ao trono do Egito, o que Ptolomeu não aceitou, então César fez seus generais atacarem Alexandria, levando ao já mencionado Cerco de Alexandria, que mais tarde foi conquistado pelos romanos graças à ajuda de Mitrídates de Pérgamo, embora, de acordo com Plutarco, a Biblioteca de Alexandria tenha sido queimada no processo.

Como resultado final, os romanos derrotaram Ptolomeu e seu exército em 47 a.C. durante a Batalha do Nilo, que causou a fuga de muitos egípcios, incluindo Ptolomeu, que teria se afogado quando seu navio virou.

A Ordem dos Antigos

Nós escrevemos toda essa longa explicação histórica, como dissemos, para dar contexto e também para expor alguns dos eventos e personagens que podem aparecer em Origins, mas o trailer está longe de acabar.

Depois de mostrar César, o vídeo passa a mostrar Alexandria de dia, com uma multidão fervorosa em frente ao palácio principal. Em uma das varandas, podemos ver o faraó Ptolomeu, que é mais uma vez induzido, ou devemos dizer controlado pelo mesmo homem mascarado com o broche de falcão do início do trailer, que aponta para a multidão que Ptolomeu tem que encontrar.

A essa altura, é fácil imaginar quem será o verdadeiro antagonista do jogo… ou talvez não. Como sabemos do lore de Assassin’s Creed, tanto Cleópatra quanto César serão mais tarde mortos por Assassinos (respectivamente Amunet e Marco Júnio Bruto), e César em particular foi apoiado pela Ordem dos Templários enquanto foi nomeado “ditador” da República Romana em 49 d.C., como mencionado pela Enciclopédia Assassin’s Creed. Além disso, os Arquivos da Abstergo de Assassin’s Creed: Revelations mencionam “Nós [os Templários] estavámos lá quando Cleópatra reivindicou seu direito de nascença”, insinuando o fato de que possivelmente os Templários apoiaram sua reivindicação ao trono egípcio.

Ainda assim, o trailer em CGI é bem claro em mostrar quem será o inimigo de Bayek, conforme o vídeo retorna à primeira cena, onde o mascarado com o broche de falcão ainda está sentado em um trono com vários soldados… E é atingido por uma flecha, enquanto o mesmo acontece com outros soldados. Finalmente, nosso protagonista, Bayek, aparece, mostrando que ele está lá pelo mascarado. Claro, uma batalha com todos os guardas ocorre, e através dela é possível realmente ver alguns dos recursos de gameplay no jogo, como flechas ficando presas em escudos, a possibilidade de usar flechas que estavam presas em cadáveres, ou mesmo a chance de ter mais de um guarda atacando Bayek ao mesmo tempo.

Bayek sai da batalha vitorioso, embora muito ferido e sangrando do braço esquerdo, tanto que um pouco de sangue vai em sua lâmina oculta conforme ele a prepara para atacar o mascarado… Mas seu alvo fugiu, deixando apenas sua máscara e sua capa com o broche de falcão. Uma cobra aparece, e isso parece ter um significado simbólico à medida que a câmera se concentra nela. Um momento depois, Bayek inclina a cabeça um pouco e imediatamente o trailer mostra Senu, que ataca e mata a cobra, terminando o trailer.

Este último momento é muito interessante por dois motivos. O primeiro é que, mesmo que muito breve, mostra-se a conexão – ainda inexplicada – entre Bayek e Senu, já que o Assassino parece de fato chamá-la quando inclina a cabeça. O segundo, que possivelmente pode ser mais importante, é o simbolismo que pode haver em Senu atacando o réptil. O trailer termina com uma águia atacando uma cobra, e ambos os animais parecem representar as duas facções inimigas: Bayek e os mascarados, ou melhor, os proto-Assassinos e o que provavelmente será a ordem dos proto-Templários.

Para ser honesto, já houve algumas dicas sobre os homens mascarados mesmo nas informações sobre Origins na E3. Por exemplo, no trailer de gameplay mostrado na conferência da Microsoft, Bayek fala sobre seu alvo, Medunamun, e o chama de “o próximo mascarado na minha lista”, mesmo que ele não use uma máscara no trailer. O que Medunamun está vestindo, no entanto, é um broche em forma de falcão em seu manto, o que o torna muito “semelhante” ao mascarado visto no trailer CGI.

Medunamun e seu broche de falcão dourado
Medunamun e seu broche de falcão dourado

Outra referência às máscaras aparece na side quest “Sobek’s Gold” (O Ouro de Sobek), que podia ser jogada na demo da E3. Quando um sacerdote vestindo uma máscara dedicada a Sobek, o deus-crocodilo, bate injustamente em seu aprendiz, Bayek diz: “A roupa do seu sacerdote é apenas uma máscara de covardia. Por Deus, eu odeio máscaras!”, o que é outra dica de que Bayek está em luta com os homens mascarados.

Falando em mascarados, outro membro do grupo pode ser Hetepi, o homem que usa uma máscara de Anúbis em uma camiseta, em uma arte promocional e em um screenshot do jogo.

Finalmente, a última referência na demo da E3 vem da missão principal “The Crocodile” (O Crocodilo). Nesta missão, conforme indicado pelo banco de dados no menu de pausa, “Bayek viaja para o Faiyum para caçar seu próximo alvo, o membro da Ordem dos Antigos conhecido como ‘O Crocodilo’”.

A primeira menção à
A primeira menção à “Ordem dos Antigos” (Order of the Ancients)

Esta última foto possivelmente nos mostra outro membro dos proto-Templários mascarados, e até nos dá um potencial nome para a Ordem antes de eles terem adotado o nome de Cavaleiros Templários, como muitos já teorizaram.

E é só isso para a nossa análise do trailer de CGI! Você concorda com o que discutimos? Percebeu mais alguma coisa que queira compartilhar conosco? Conte para nós nos comentários!

Quero agradecer ao Markuz, do site Access the Animus, por me permitir traduzir este excelente artigo! Vocês podem conferir o texto original no site deles. E, se não conhecem o Access the Animus, que já está na nossa lista de sites essenciais sobre Assassin’s Creed, não deixem de curtir a página do Facebook deles (em Inglês e Italiano).

Leia também

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*