Assassinos versus Templários – um breve panorama feito pela Ubisoft

01 - Assassinos versus Templários - capa

No último dia 23, a equipe responsável pelo Council, a rede social oficial de Assassin’s Creed, postou um texto trazendo mais esclarecimento acerca do passado e da ascensão das duas facções presentes na franquia. O próprio título do texto já direciona: Assassinos versus Templários.

O texto é dividido em duas partes, uma para cada facção e, também, traz outras duas partes cada, a primeira falando da origem e a segunda do posicionamento dela nos tempos atuais.01 - Assassinos versus Templários - Assassins Creed Council

Os fãs mais conhecedores do assunto não encontrarão muitas novidades, mas os novatos com certeza descobrirão detalhes que só podem ser encontrados nos “arquivos mais obscuros” da Abstergo. Independente do seu nível de conhecimento, trata-se de um texto oficial (que, claro, eu tive que adaptar para o Português) e vale a pena ser lido.

Quem quiser ler o texto original em inglês, está disponível no Council, sob o nome de Assassins vs. Templars.

Assassinos versus Templários

Duas facções em guerra

O conflito primário na série Assassin’s Creed está definido entre duas escolas de pensamentos opostos que se tornaram ordens distintas. Embora procurem pelo mesmo fim, os Assassinos e os Templários tem lutado amargamente por esse caminho para atingir esse fim ao longo da história.

Alguns dizem, os Assassinos e os Templários já compartilharam dos mesmo sonhos e esperanças para a humanidade, até dos mesmos ideais; embora este tempo tenha sido esquecido por causa da guerra secreta que as facções lutaram entre elas por milênios.

02 - Assassinos versus Templários - Assassins Creed

Enquanto os Assassinos buscam proteger o livre arbítrio como a verdadeira expressão da capacidade da humanidade para melhorar a si mesmo, os Templários sentem que o único modo dos humanos atingirem a perfeição é através da limitação do livre arbítrio e a orientação por meio de uma mão firme.

Essas ideologias divergentes têm colocado os Assassinos e os Templários em oposição direta, levando-os a travar uma guerra clandestina entre eles, como pano de fundo da história humana.

Os ideais da Irmandade dos Assassinos

A Irmandade dos Assassinos é uma ordem moderna, com raízes que remontam o início dos tempos com uma única diretiva: preservar a liberdade de escolha da humanidade.

A Irmandade é baseada na crença de que somente o livre arbítrio pode garantir o aperfeiçoamento da humanidade. Ao desenvolver o indivíduo, a sociedade um todo vai se tornar melhor. Inovações, ideias, qualquer desenvolvimento decorre da capacidade de pensar e escolher por si mesmo, sem restrição. A maior ponto de perfeição que pode ser alcançado como sociedade é através da auto-expressão livre e atitude aberta para o conhecimento.

Os Assassinos não esperam perfeição da humanidade, eles entendem plenamente que, com o livre arbítrio e a capacidade de fazer uma escolha, às vezes, é feita a escolha errada. Eles entendem que com grande liberdade vem o potencial para grandes erros. É em parte devido a estes erros que o crescimento pode ocorrer dentro de nossas sociedades como um todo.

Enquanto os Assassinos contam com a discrição e o sigilo para manter a ordem, eles ainda recrutaram poderosos aliados e membros da ordem, como Marcus Junius Brutus, Leonardo da Vinci, Marco Polo, Niccolò Machiavelli, e muitos outros. Tal como a ordem se estendeu ao longo da história, se estendeu também essa rede de pessoas conhecidas que apoiaram sua casa.

Construindo uma Irmandade moderna

A história da Irmandade dos Assassinos é uma rebelião contra a tirania e a preservação da liberdade humana. A sua capacidade de se adaptar e operar em segredo levou os Assassinos à sobrevivência, apesar dos esforços constantes dos Templários em erradicá-los. Embora o equilíbrio do poder tenha mudado entre os dois grupos ao longo do último milênio, tiveram várias ocasiões em que os Templários chegaram perto de alcançar seu objetivo, forçando a Irmandade a adaptar suas táticas.

07 - Assassinos versus Templários - Irmandade dos Assassinos Moderna 0

Mais recentemente, com a aproximação do Século XX, os Assassinos abraçaram ainda mais a ideia da mudança através de uma reforma. Eles colocaram maior ênfase em movimentos sociais e políticas, ao invés da força bruta ou conflitos abertos.

Depois da Segunda Guerra Mundial, os Assassinos começaram a inspirar a mudança pelo exemplo. A Irmandade se adaptou com relação à globalização, através das urnas, imprensa e outros métodos não-violentos com relação à 08 - Assassinos versus Templários - Daniel Crossguerra dos séculos anteriores.

Apesar desta tendência no sentido de não-violência, esta transição não diminuiu o conflito entre os Assassinos e Templários. Em novembro de 2000, um agente Templário infiltrado chegou à sede a Irmandade em Dubai e teve conhecimento da localização dos campos de treinamento dos Assassinos ao redor do mundo.

Ao longo dos próximos doze anos, os Templários usaram essa informação para caçar os Assassinos restantes, levando-os ainda mais a agir clandestinamente e na obscuridade. O destino da Irmandade moderna permanece, os Assassinos nunca pararam de lutar contra as ameaças templárias ou deixaram de manter seu princípio de liberdade, mesmo reduzidos e dispersos como estão.

Os ideais da Ordem dos Cavaleiros Templários

Acredita-se que os Templários tenham existido de alguma maneira, desde a queda dAqueles Que Vieram Antes. Ao contrário dos Assassinos que escolheram operar em sigilo, os Templários muitas vezes se integraram às camadas superiores da sociedade, obtendo papéis fundamentais e apoiando o alto escalão, assim, estabelecendo posições de importância cultural ao longo da história.

Os Templários se diferem dos Assassinos em várias maneiras; sendo talvez as mais sobressalentes os seus ideais sobre como a humanidade pode prosperar. Os Templários acreditam que a maior ameaça para a sobrevivência da humanidade é a busca descontrolada do livre arbítrio. Eles acreditam que os seres humanos devem ser orientados, muitas vezes contra seus próprios instintos egoístas. Se todos forem livres para perseguirem o que querem, os Templários acreditam que a humanidade não só se estagnará, mas, ao final, se destruirá.

Embora seus métodos possam parecer rígidos, os membros da Ordem dos Templários acreditam firmemente que estão trabalhando para o aperfeiçoamento da humanidade. Eles estão convencidos de que, com uma mão firme e manipulação deliberada das massas através da ciência e tecnologia, a humanidade pode superar suas falhas e alcançar seu pleno potencial.

Construindo a Ordem dos Cavaleiros Templários Moderna

Embora a origem exata da Ordem dos Templários tenha se perdido ao longo do tempo, alguns especulam que um dos seus membros fundadores foi Caim, a figura mítica que matou seu irmão Abel. Na narração deste conto, Caim matou seu irmão não por causa do ciúme, mas por causa da Maçã do Éden, um dispositivo tecnológico altamente avançado deixado para trás por Aqueles Que Vieram Antes.

Embora o envolvimento de Caim na fundação dos Templários nunca ter sido totalmente comprovado, obter a Maçã do Éden viria a se tornar um dos pontos focais da organização.

09 - Assassinos versus Templários - Caim

Desde a descoberta dos Pedaços do Éden, os Templários tiveram como objetivo compreender, usar e controlar tais artefatos; em primeiro lugar para proteger a humanidade de si mesma, e em segundo lugar para assegurar um futuro melhor para todos. Embora alguns digam que eles tomaram, muitas vezes, medidas drásticas para adquirir os Pedaços do Éden ou empurra o avanço científico, os Templários confiam que seus métodos são os únicos que podem garantir o cumprimento de sua meta.

10 - Assassinos versus Templários - Maçã do EdenMuitos dos líderes mais proeminentes da Ordem dos Templários foram pessoas da Ciência, mesmo durante períodos em que esses estudos foram perseguidos e, em lugares como a Europa Medieval, eles eram hereges marcados (*). Alguns desses Templários sofreram bastante; muitos foram torturados e mortos por acreditar em coisas como medicina e química. No século XII, alguns perceberam que a Ordem precisava da Igreja como um aliado.

Isso encorajou uma integração mais deliberada dos Templários dentro de partes da sociedade que lhes ofereceriam maior capacidade de perseguir seus próprios objetivos sem interferência. Mesmo quando o Iluminismo surgiu e um novo modo de sociedade emergiu, em que a tecnologia e a ciência poderiam florescer, os templários tinham aprendido uma lição valiosa com relação à adaptação, com intuito de manter seu poder. Até quando eles foram obrigados a perseguir sua verdadeira meta de avanço tecnológico e científico por meios mais sutis, com as pessoas certas nos lugares certos, os Templários podiam operar mesmo em ambientes onde seus métodos não eram tolerados.

À medida em que o conflito entre Assassinos e Templários continuou ao longo dos séculos, os dois lados experimento sucessos e perdas duradouras, muitos na Ordem dos Templários viram o Século XX como o início de uma nova era. Seria um período em que o progresso científico devia prosseguir de forma ativa e mudar a própria maneira como a sociedade humana funcionava. Sempre se adaptando às potências emergentes dos tempos, em 1910, os líderes da Ordem elaborou um plano. Vinte e sete anos depois, um grupo de industriais Templários influentes fundava as Indústrias Abstergo, uma empresa multinacional que se tornaria a face pública da Ordem.

10 - Assassinos versus Templários - Abstergo

A Ordem dos Templários moderna, liderada pela Abstergo, mantém sua influência de massas através da produção de entretenimento e tecnologia.

Por trás dessa frente, os Templários usam seus fundos corporativos para mover as peças finais do seu plano para incapacitar os Assassinos na próxima era…


Particularmente, e adoro este tipo de texto. O primeiro que fiz aqui, neste mesmo ‘naipe’, foi o texto sobre o Credo, escrito pelo próprio escritor chefe de Assassin’s Creed, Richard Farrese, se, por acaso você não leu, just do it.

(*) não tenho certeza, mas o termo “herege marcado” se refere aos hereges que eram literalmente marcados nessa época. Em inglês, o termo é “branded heretics”. Se alguém souber mais a respeito do termo, por favor, me avise para que eu atualize o texto com uma possível equivalência mais próxima.

Leia também

2 Comments

  1. Realmente chega a ser fascinante o quanto pode-se usar da história real para a adaptação de uma história fictícia. A engenhosidade por trás das pessoas que tiveram todo o feeling de montar e pensar em tudo, ligar personagens reais a toda a trama, inimigos, amigos, facções, inveja, perseguição, a vontade de fazer um mundo melhor, dos dois lados, mas de jeitos diferentes.
    Não sei se isso já foi comentado, ou se existe algum texto que comprove o que eu vou falar agora, mas pelo meu ponto de vista, nos primórdios, existi somente uma facção, provavelmente a dos Templários, que buscava a mesma coisa de agora, e no andamento das intenções de fazer um mundo melhor as ideias foram se distorcendo e aqueles que pensavam diferentes foram entrando em conflito.
    Nesses ideias surgiu o clã dos assassinos, esses que sabiam como os seus antigos “amigos” pensavam e construíram a base de seus ideias com formas de agir diferentes, batendo de frente com os Templários.
    Não sei, é só uma idéia, que acredito ser a mais viável entre teorias e possibilidades

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*