Assassin’s Creed Uprising: o desfecho do Phoenix Project (Projeto Fênix)

tn-assassins-creed-uprising-o-desfecho-do-phoenix-project-projeto-fenix-capa

Neste fim de ano, a Ubisoft divulgou mais uma linha de quadrinhos ongoing (com lançamento periódico, geralmente mensal): trata-se de Assassin’s Creed Uprising que já foi chamado de Assassin’s Creed: Apogee e também Assassin’s Creed: Defiance (Apogeu e Desafio, respectivamente).

tn-assassins-creed-uprising-o-desfecho-do-phoenix-project-projeto-fenix-hq01Com data de lançamento prevista para fevereiro de 2017, a nova série tem três características interessantes: a primeira delas é a reunião de vários personagens Assassinos e Templários, atuando em conjunto. Isso é a concretização do que muitos fãs desejam, os dois grupos trabalhando juntos. A segunda coisa é também uma junção, a união (e talvez o desfecho) das histórias começadas nas outras duas séries mensais: Assassin’s Creed (conhecida apenas como Assassins) e Templars, ambas distribuídas pelas Titan Comics. A terceira e última é o já citado anteriormente, a conclusão da história iniciada do Phoenix Project (Projeto Fênix).

Entre os personagens já confirmados na HQ estão: os Templários dr. Álvaro Gramática e Otso Berg e as Assassinas Charlotte de la Cruz e Galina Voronina. Além de presenças ilustres como a dos Assassinos Kiyoshi Takakura e Arend Schut e também de Violet da Costa, um dos Instrumentos da Primeira Vontade e também, ninguém menos do que a própria Juno.

Minha opinião sobre Assassin’s Creed Uprising

tn-assassins-creed-uprising-o-desfecho-do-phoenix-project-projeto-fenix-hq02Óbvio que eu posso estar errado, mas, apesar de gostar muito da ideia de termos Assassinos e Templários trabalhando juntos, este quadrinho é na verdade uma prova de que a Ubisoft está, possivelmente, correndo para fechar logo os arcos de história que ela criou nos jogos e que, de repente, não rendeu o tanto que ela queria. O desfecho de uma história começada nos jogos, mas feita nos quadrinhos, deixa a entender que não seria interessante fazer tal desfecho num próximo jogo.

Essa possível pressa (a meu ver) em encerrar o assunto noutra mídia reforça a ideia de reboot da franquia no próximo jogo em 2017. É quase certo que a Ubisoft vai reiniciar a história de sua principal franquia, mostrando que, talvez, sim, eles tenham derrapado no enredo de Assassin’s Creed.

Como fã, eu vejo com bons olhos, mas, sendo crítico, acho que é o atestado de que o enredo dos últimos de Assassin’s Creed não saiu como o planejado.

Sobre o Phoenix Project (Projeto Fênix)

tn-assassins-creed-uprising-o-desfecho-do-phoenix-project-projeto-fenix-hq03Para quem não lembra, o Projeto Fênix começou a ser explorado pela Ubisoft em Assassin’s Creed Unity, funcionando mais especificamente como o principal storyline do tempo presente no jogo, com os estudos e pesquisas feitos no corpo de John Standish, o Sábio (Sage) moderno, apresentando em Assassin’s Creed IV Black Flag e um dos Instrumentos da Primeira Vontade (Instruments of the First Will).

O principal objetivo do projeto era obter mais informações sobre as Peças do Eden (Pieces of Eden) e também das tecnologias dAqueles que vieram antes. Standish foi importante por seu DNA ter muitas informações acerca da Primeira Civilização. Apesar do assunto ser iniciado em Assassin’s Creed Unity e em 2013, segundo a cronologia da própria saga, o Phoenix Project teve início em 1952, quando Rosalind Franklin descobriu o DNA de cadeia tripla (Triple-helix DNA) e fundou a Abstergo.

Em Assassin’s Creed Syndicate, este enredo permanece, porém, obviamente, não teve um desfecho (que agora é responsabilidade de Assassin’s Creed Uprising).

DLC – Entrevista com os desenhistas de Assassin’s Creed Uprising

tn-assassins-creed-uprising-o-desfecho-do-phoenix-project-projeto-fenix-hq04Para quem ainda não viu, no começo de dezembro de 2016, a página oficial de Assassin’s Creed publicou uma entrevista com os desenhistas das capas da primeira edição de Assassin’s Creed Uprising.

Entre os desenhistas entrevistados estão: Alex Ronald, Doubleleaf, Jimbo Salgado, Jose Holder e Sunsetagain.

Você pode conferir a entrevista na íntegra, em português, no link abaixo:

Entrevista com os desenhistas de Assassin’s Creed Uprising

 

Leia também

2 Comments

  1. A dúvida de sempre é… e o que vem para o Brasil? sei que estou precisando aprender inglês…. kkkk. mas vamos ter essas revistas todas no nosso bom portuga brazilis??

    • Everton, vou ser sincero contigo. No começo de 2016, eu conversei com um editor que estava muito interessado em trazer essas HQs e ele já estava em negociações. Entretanto, eu não sei dizer se foi a crise, se a Ubisoft mudou os planos ou se simplesmente o cara não pode mais me dizer, mas nunca mais obtive respostas que realmente fossem claras.

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*