A evolução do Animus em toda a saga Assassin’s Creed

Prestes a estrear o filme de Assassin’s Creed, a equipe de conteúdo da franquia postou um interessante texto acerca da Evolução do Animus. Todo jogador conhece o termo e sabe quão importante ele é para entender o funcionamento da franquia. Como todo fã da série, esses textos oficiais mostram um posicionamento e um esclarecimento maior acerca dos muitos termos presentes em toda a saga Assassin’s Creed.

Abaixo está uma versão em português (BR) para o texto publicado no blog oficial internacional de Assassin’s Creed. Quem quiser conferir a versão original em inglês, o link está disponível no fim do texto.

A evolução do Animus

A história do Animus está intimamente ligada à história da Abstergo e à Ordem dos Templários. Desde a formação do ‘Plano’ por notáveis líderes Templários em 1910, a Abstergo tem servido como a face pública da Ordem para acumular riqueza e recursos ao dirigir o caminho do progresso científico.

tn-evolucao-do-animus-primeiros-prototipos-1980

Os primeiros conceitos para um protótipo de Animus apareceram em 1960 sob o disfarce do “Memorium S-2000,” a iteração mais bem-sucedida do Animus foi desenvolvida mais tarde sob a direção do Dr. Warren Vidic e usado em Desmond Miles.

A primeira descoberta real na tecnologia usada para explorar memórias genéticas começou em 1980 com a Iniciativa Surrogate (Substituto), um programa irmão do Projeto Animus do Dr. Vidic. A Cobaia Zero (Subject Zero) da Iniciativa Surrogate foi a Diretora do Projeto, Aileen Bock, que estava determinada a ver pessoalmente os frutos de sua pesquisa.

A Iniciativa Surrogate tentou explorar as memórias fora da linhagem da própria cobaia (Subject), mas acabou por ser tão perigosa quanto custosa. Depois que Aileen Bock sofreu um acidente terrível ao ver uma memória em 1981, a Iniciativa Surrogate foi fechada tão logo o projeto Animus de Warren Vidic entrou em pleno andamento.

O Projeto Animus, ao contrário de seu programa irmão, só permitiria aos usuários explorar suas próprias memórias genéticas. Era mais fácil de processar em termos de computação e, embora ainda arriscado para o usuário, provou ser menos perigoso do que a fracassada Iniciativa Surrogate.

tn-evolucao-do-animus-animus-2-0

O modelo experimental do Animus exigiu procedimentos dolorosos ao ser usado, embora não doloroso o suficiente para dissuadir o Dr. Vidic de se tornar um dos primeiros Subjects de teste para explorar sua própria memória genética.

Não foi até 2002 que uma instalação da Abstergo na Filadélfia desenvolveu um Animus mais estável, como o usado em Desmond Miles. Mesmo com melhorias na tecnologia, os usuários do Animus continuaram a experimentar efeitos colaterais invasivos e perigosos, um dos mais pronunciados sendo um Bleeding Effect (efeito de sangramento) intenso que misturou alucinações visuais e auditivas do usuário com a de seu antepassado. Às vezes, os efeitos eram tão fortes que causavam grave degradação mental e instabilidade psicológica.

Enquanto a Abstergo estava conduzindo o desenvolvimento do programa Animus, a Irmandade dos Assassinos seguia atrás da melhor maneira que podiam. Depois de fugir da instalação Abstergo em Roma com Desmond em 2012, Rebecca – uma engenheira Assassina – desenvolveu uma versão atualizada com a ajuda de esquemas obtidos por Lucy Stillman. Este “Animus 2.0” foi carinhosamente referido como “Baby” e serviu como a resposta dos Assassinos à tecnologia avançada da Abstergo.

tn-evolucao-do-animus-assassins-creed-brotherhood-tempo-presente

Embora os Assassinos tratassem o Bleeding Effect com grande cautela, os Templários viram imediatamente seu valor em formar rapidamente agentes altamente qualificados. A Abstergo criou o Programa de Treinamento Animi para dar aos funcionários as habilidades que eles precisariam para lutar contra os últimos membros restantes da Irmandade dos Assassinos.

A engenhosidade dos Templários não parou no Programa de Treinamento Animi, eles também viram a oportunidade lucrativa de adaptar dados recolhidos pelo Projeto Animus a um modo mais atraente: entretenimento através da realidade virtual (VR), assim nasceu o console de jogos Animus Omega (junto com seu visor, o Animus Oculars).

tn-evolucao-do-animus-abstergo-entertainment-animus-headset-oculars

Enquanto Abstergo ramificou-se no mundo do jogo e entretenimento através de adaptações altamente editadas e estilizadas de memórias genéticas, os Assassinos continuaram a sofrer retrocessos. Um grupo de Assassinos russos sofreu em primeira mão com a tecnologia volátil quando um modelo mais antigo contrabandeado finalmente acabou com a sanidade de quase todos que o usaram, excluindo uma notável exceção, Galina Voronina.

A próxima incursão dos Assassinos na tecnologia Animus, após as desastrosas experiências na Rússia, foi o hacking do sistema Helix, um serviço de entretenimento baseado na nuvem Abstergo. Isso os ajudou a capitalizarem a tecnologia Templária mais avançada e estável, enquanto alcançavam os possíveis simpatizantes da Irmandade dos Assassinos.

Essas táticas permitiram que eles ‘hackeassem’ as memórias dos gêmeos Assassinos Evie e Jacob Frye, o que levou à infiltração de um escritório dos Templários em Londres, matando a famoso Templária Isabelle Ardant e localizando um perigoso Piece of Eden (Peça de Éden).

Enquanto os Assassinos reúnem seus próprios Animi improvisados com a ajuda de Rebecca e modelos mais antigos do Animus, eles desesperadamente alcançar o rápido avanço do programa Abstergo.

Após a pesquisa baseada em sua tecnologia de VR maciçamente bem sucedida, a Abstergo percebeu que eles poderiam maximizar a eficiência, e até mesmo aproveitar o Bleeding Effect, quando imersão e fisicalidade são combinados com a avançada tecnologia Animus. Em 2016, várias instalações da Abstergo em todo o mundo estão testando os limites desta nova tecnologia com os modelos Animus mais avançados.

Em uma instalação americana da Abstergo, chamada Aerie, o usuário do Animus não está mais sentado em uma cadeira ou deitado sobre uma mesa, mas sim segurado no meio do ar por aparelhos. A experiência do Subject (cobaia) é muito mais suave do que as iterações anteriores, pois pode ser combinada com a neurometria de um indivíduo.

Nos escritórios da Abstergo em Madrid (Espanha), o Animus Modelo 4.3 iniciou a integração nos testes de Subjects. Este Animus, ao contrário de seus antecessores, é dito ser mais físico do que qualquer outra versão existente até à data.

Veja o Animus 4.3 em ação no filme de Assassin’s Creed estrelado por Michael Fassbender e Marion Cotillard a partir de 12/01/2017 no Brasil.

Texto original em:

https://assassinscreed.ubi.com/en-US/news/152-277873-16/the-evolution-of-the-animus

Leia também

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*