URGENTE! O descaso com o tempo presente em Assassin’s Creed #ModernDayMatters

Bom… Não é preciso dizer que a trama do tempo presente em Assassin’s Creed é a história principal, pelo menos não pra quem jogou e entendeu tudo direitinho. Desde o primeiro jogo da franquia, lá nos tempos do nosso querido Desmond (o verdadeiro protagonista, inclusive, pfvr volta), o que dita os acontecimentos são os eventos do presente, eles são a razão de visitarmos o passado, e também a reação, onde vemos as consequências do que descobrimos nas memórias.

Pois bem, quem acompanha mais de perto (e por “mais de perto” eu me refiro à não apenas os games, como também outras mídias) sabe que já faz um tempinho que eles vem movendo os acontecimentos do tempo presente pros quadrinhos.
Recentemente, quando questionardo em uma enquete pelo fã e YouTuber LazerzZHD sobre o óbvio (a história principal deve estar nas entradas principais da franquia), o diretor de conteúdo de Assassin’s Creed na Ubisoft, Aymar Azaïzia, twittou:

 

Tradução:: Eu espero que você esteja tentando ser um espertinho como sempre. A questão que encaramos é “Vamos lidar com essa parte da historia nos quadrinhos, ou deixar como está, por que não podemos fazer no momento?”. Então seriam os quadrinhos ou nada?.
Tradução:: Eu espero que você esteja tentando ser um espertinho como sempre. A questão que encaramos é “Vamos lidar com essa parte da historia nos quadrinhos, ou deixar como está, por que não podemos fazer no momento?”. Então seriam os quadrinhos ou nada?.

 

E então, a comunidade foi à loucura, nada mais justo lendo um absurdo desses. Não poder fazer A HISTÓRIA PRINCIPAL no momento? Os fãs desceram a lenha… E eu, é claro, como boa Mentora que sou, também fiz meus belos comentários
Na época eu até pensei em fazer um post, mas deixei de lado, achando que com essa reação negativa, os caras iam finalmente cair na real e enxerga o erro. Mas não. Esse era só o começo da chuva de merda… Vamo lá!

Ontem, em entrevista pro site oficial de Assassin’s Creed, os desenvolvedores responderam algumas das perguntas mais requisitadas pela comunidade. Até aí, tranquilo. Não fosse o fato de terem não apenas desmerecido a importância do tempo presente como história principal, como também deixando claro que a história da Juno, que acompanhamos desde Assassin’s Creed Brotherhood, será concluída, de fato, nos quadrinhos. Confira abaixo na tradução:

 

Qual é o papel que as histórias em quadrinho tem no avanço da historia principal da franquia?

“A historia principal em cada jogo é a historia do passado, onde o jogador passa dezenas, se não centenas de horas jogando. As tramas do presente, ou também a “meta-história”, são elementos que envolvem vários personagens e núcleos, mostrando o conflito entre Assassinos e Templarios nos tempos atuais.
A saga de Desmond começou, se expandiu, e terminou nos games. Após alguns anos, brincando com diferentes versões, nós decidimos voltar a ter sessões no presente com um personagem principal jogável. A nova heroína do presente é Layla em Assassin’s Creed Origins.
O outras mídias tem sido usadas para expandir os personagens ou criar novas coisas interessantes em nosso universo (incluindo os quadrinhos, os livros, o filme, curtas animados, etc…). Foi assim que Daniel Cross, Galina e Otso Berg foram criados antes de aparecerem nos games. A historia da Juno é parte da história do tempo presente e parte da saga de Desmond, mas ainda sim, a história principal não está limitada a jornada de Juno.

 

Não é novidade que o presente tem deixado de ser tratado como a história principal há um certo tempo, sempre recebendo menos atenção à cada lançamento. Desde Unity, foi diminuído para cutscenes, colecionáveis e arquivos de computador. Com o Origins, eu realmente pensei que o presente voltaria às suas raíses, uma vez que, após 5 anos, finalmente temos uma personagem jogável em terceira pessoa. É… O presente de Origins é jogável, mas… Bom, nem vou dar spoilers, confiram por conta própria e tirem suas conclusões.
Isso tem que mudar! E é aqui onde vocês entram, vocês fãs leais que vem acompanhando essa franquia há 3, 5, 10 anos, que valorizam e gostam do tempo presente. Afinal, nós não dedicamos nosso tempo jogando essa franquia tão única e genial, pra ficar aqui e vê-la se tornar nada mais do que “GTAs históricos”, não é mesmo? AC não é AC sem nenhuma das 3 histórias que compõe a série (passado, presente e primeira civilização). É a combinação delas que faz da franquia tão única, é a combinação destas 3 histórias que faz de Assassin’s Creed… Assassin’s Creed. E nós, como fãs, sabemos que é presente que dita os acontecimentos dos jogos, não o contrário.

 

Eu estou organizando um movimento na comunidade internacional (e agora aqui também), tentando unir os fãs de Assassin’s Creed de forma que os desenvolvedores possam nos ouvir e compreender a importância do tempo presente.

Então, o que eu quero de vocês?

Envie um tweet para o Aymar com a seguinte frase: “The Modern Day is the actual main story since the first game, we want it in the games! #ModernDayMatters” e adicione qualquer outro comentário sobre o presente de sua preferência, desde que contenha a hashtag.

Se você tem uma página no Facebook, canal no YouTube, blog ou qualquer outra rede na qual posta conteúdo relacionado à Assassin’s Creed, faça um vídeo ou um post sobre o assunto usando a hashtag. Bora espalhar a mensagem!
Vamos nos unir como Irmandade que somos! Vocês estão comigo, novices?
Insieme per la vittoria!

UPDATE: Alguns esclarecimentos nesse Tweet.

Leia também

About Isa Piva 23 Articles
23 anos, estudante na área de Design Gráfico. Apaixonada por música e games desde a infância e também por artes de um modo geral. Grande fã de Assassin's Creed, fascinada com a franquia e seu universo tão vasto e profundo, repleto de possibilidades.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*